Se você faz receitas do Quarta Feira, envie a foto da sua preparação na página do facebook:

segunda-feira, outubro 31, 2011

ACE OF CAKES




Estes são os bolos mais diferentes e bizarros ja feitos na TV, o programa chama-se Ace of Cake,  passa na tv por assinatura -  fox life, começou em 2006 e termina no ano que vem nos E.U.A. Aqui no Brasil esta na primeira temporada. São bolos de casamento, aniversário e outras comemorações.





domingo, outubro 30, 2011

Que pedaço de boi você prefere?


                Segundo o livro 400g, técnicas de cozinha de Betty Kuvesi, Carlos Siffert, Carole Crema e Gabriela Matinoli, “ todas as partes dos animais que servem de alimento ao homem são chamadas de carne a partir do momento que são cortadas. Esse conceito abrange carne de aves, mamíferos, caças e peixes.
              Neste post trataremos das carnes bovinas.
              Cada animal e seus cortes resultam em carnes de características diferentes. Mais ou menos gordas, duras ou macias, de sabor mais marcante ou mais suave.
              Não existe carne ruim, o que se deve considerar é o tipo de carne e corte mais apropriado para o preparo que se deseja fazer ou escolher o preparo mais adequado para a peça que se tem.”

               O Boi:   O termo boi designa um jovem animal de raça bovina, castrado entre o 6º e o 10º mês de idade, especialmente gordo; vai para o abate (frigoríficos) entre a idade de 18 a 72 meses, segundo a espécie e o processo de engorda.

  •  Características dos cortes bovinos

Diferentes países ou culturas praticam cortes bovinos particulares, relacionados ao hábito de consumo de carne de cada um, muitas vezes o mesmo corte recebe nomes diferentes em diferentes regiões de um mesmo país. Por exemplo, o corte que em São Paulo, recebe o nome de Lagarto, no Rio Grande do Sul é chamado de Tatu.


Como Escolher:
·         Comprar em um lugar de confiança, com grande movimento.
·         Gordura externa deve ser firme e branca.
·         Escolha carne bem vermelha e úmida.
·         Cheiro de frescor, superfície úmida.
·         Verifique a data de validade.

                 Num boi, o importante não é preferir este ou aquele pedaço.                
                 Cada corte tem sua característica e serve para determinado prato. Animais mais novos tem carnes de textura mais delicada que animais mais velhos. A carne das fêmeas são mais macias que a carne dos machos.
                 O animal confinado apresentam carnes mais maciasanimaque se exercitam com frequência tem carne mais dura. Por isso, a carne de animais criados em planícies é mais macia que  a d outros criados em terrenos acitados.
                 O valor nutritivo de todos os cortes é praticamente, o mesmo. A diferença reside na maciez de cada pedaço, apenas.

  • A tabela de consumo de carne por pessoa é esta:
Carne sem osso - 175 gramas por pessoa.
Carne com osso - 300 gramas por pessoa.

  • Para o churrasco a quantidade aumenta:
Se for servir apenas carne - 500 a 600 gramas
Se for acompanhado por saladas, pães, vinagrete, arroz ou mandioca -  400 a 500 gramas 


Ponha o pedaço certo em sua receita.

Para assar:  Rosbife, bisteca com osso, miolo de alcatra, picanha, maminha, coxão duro ou mole, lagarto, patinho e ponta-de-costela.

Para refogar:  Cupim, acém, bisteca, patinho, fraldinha, capa de filé e filé de costela.

Para ensopar:  Além dos que servem para refogar, entram rabo, tutano, ponta de agulha, aba de filé, peito e carne moída.

Para fritar:  Contrafilé, patinho, coxão mole, alcatra e filé mignon.




É bom conhecer os cortes todos. Certamente esse conhecimento irá ajudar:






1 - Pescoço       2 – Acém          3 - Peito 
4 – Paleta       5 - Fraldinha     6 - Filé mignon    
7 - Bisteca       8 - Contra Filé    9 - Músculo   
10 - Ponta de agulha 11 - Maminha 12 - Coxão mole   
13 - Lagarto        14 - Patinho       15 - Costela   
16 - Alcatra (+Picanha) 17 - Capa de filé 18 - Coxão duro   
19 - Cupim 20 - Aba do Filé  


Picanha - Inteira ou em bifes, essa carne é muito macia e suculenta e não pode faltar na grelha de um bom churrasco. Mas também pode ser preparada no forno, frita ou cozida. A parte mais tenra é a pontinha. Ela deve ter não mais de 25 centímetros de comprimento e o peso ideal é de 1 quilo a 1.500 gramas. Corte da alcatra, de formato triangular, com capa espessa de gordura.
Excelente para churrasco, bifes altos, rosbifes de panela ou de forno.

Cupim - É a corcova do boi-zebu. Nele, fibras e gordura se entrelaçam. É saboroso e muito usado em churrasco. Mas exige um longo tempo de cozimento.

Paleta e miolo de paleta -Pernas dianteiras do boi. Como os outros cortes provenientes dessa parte, a paleta é apropriada para cozidos, assados de panela e picadinhos. O miolo é mais macio e suculento, parecido com o patinho (às vezes é até vendido como tal). Bom para assados.

Pescoço –Tem muito tecido conjuntivo e gordura, exige mais tempo de cozimento. É considerado de "terceira". geralmente usado em sopas;

Acém –   Carne de "segunda", relativamente magra, que pode entrar em cozidos, ensopados, assados, refogados, ou preparada em bifes ou moída.

Peito – serve para cozidos, porque é formado de músculo e fibras mais duras. Usa-se também para caldo e sopa.

Baço, pá ou paleta – é peça saborosa, não muito macia, própria para moer, ensopar na panela ou fazer molhos.
Conhecida por paleta ou pá, é carne nervosa, que leva muito tempo para cozinhar. É de "segunda".

Bisteca - Também conhecida como chuleta. É arredondada, intercalada por gordura amarelo-clara. Pode vir com ou sem osso, é considerada uma das mais saborosas do boi e pode ser servida assada, frita ou grelhada.

Fraldinha – Usada em ensopados, por ser mais dura que as outras.  Composta pela parede do abdômen do animal, tem fibras longas, nervos e gorduras. Já foi considerada carne de "segunda". Corte pequeno e alongado, entremeado com pouca gordura. Ideal para consumida em churrascos, espetinhos, assados de panela, bifes, assados e receitas como estrogonofe.
Localizada na lateral do boi.

Ponta de agulha – peça constituída pelas últimas costelas, com músculos duros, de fibras grossas e compridas. Em geral é usada em ensopados ou para sopa.

Filé mignon – Peça muito macia, magra, tenro e suculento, mas não muito saboroso, sempre pede um bom molho por acompanhamento.. Sua parte mais grossa fica debaixo da alcatra. Peso médio 2 quilos.  Ideal para pratos rápidos,  bifes altos, rosbifes,  servido ao ponto ou mal passado. Cortes clássicos são medalhões (100g a 150g), escalopes (80g), chateaubriand (350g a 400g), tournedo (200g a 220g), e emincé (tirinhas).

Filé de costela -  Também é chamado de filé de costa, é de "segunda", demora para cozinhar e é recomendável em cozidos e refogados.

Costela - Também conhecida como pandorga e assado. Cercada de osso e gordura, é apropriada tanto para cozidos como para assados. É fibrosa e requer preparo lento, que pode chegar a 12 horas no "bafo" da churrasqueira, ou seja, longe da brasa.


Lombo ou contra filé – carne muito macia e saborosa. Também conhecido por filé do lombo. Fica ao longo da parte  externa da coluna vertebral do animal. Os mesmos usos que o filé mignon.  Muito macio, é magro mas sua parte externa mostra grossa camada de gordura. Fica ótimo assado e frito.  Corte nobre do lombo do boi, fica ao lado do filé mignon.

Capa do filé – serve para assados e refogados. Outra carne de "segunda", que pede muito tempo no cozimento.

Alcatra – carne muito saborosa, carne de “primeira”. Há uma parte macia, ótima para bifes, e outra que serve para assados e refogados. De fibra macia, uma das campeãs na preferência dos brasileiros, esta carne é, também, uma das mais nobres. Da peça inteira da alcatra, localizada no traseiro do boi, saem outros cortes igualmente apreciados, como a picanha e a maminha. É usada principalmente para fazer bifes, mas faz igual sucesso em assados e cozidos de panela.

Patinho – Carne magra, muito usada em assados, um pouco menos macia que a alcatra. Ótima para moer. Corte de "primeira", com fibras macias. Ao fazer bifes corte-o no sentido das fibras para que não endureçam. Também usado picadinho e cozido.

Coxão mole ou chá de dentro – fica sob o coxão duro e o lagarto. Tem o mesmo uso que o patinho. Carne magra,  constituída por fibras macias e curtas, com gordura e nervos, carne macia mas não muito suculenta. Durante muito tempo, foi sinônimo de carne para bife. Pode ser feita à milanesa, enrolada, assada ou na forma de escalopes.

Coxão duro -Coxão duro ou Chã de dentro ou, ainda, Ponta de Alcatra é um pedaço com fibras grossas, mas menos macia que as do coxão mole. Mas de "primeira", como esse. Crane magra para cozimento prolongado em caldos e ensopados, ou  outras receitas que exigem cozimento lento, capaz de lhe amaciar. Vem do músculo traseiro do boi.


Lagarto – Serve para assados e rosbifes.
De "primeira", formado por fibras longas e magras, com uma parte externa gordurosa. Também conhecido como lagarto-branco e tatu. Carne dura, nada suculenta, com formato arredondado, para cozimento prolongado em caldos e ensopados. Cru, cortado em fatias finíssimas, faz sucesso como carpaccio.

Músculo – músculo do pescoço, pernas e quarto dianteiro são as partes mais exercitadas do animal, portanto, produzem carnes menos macias e geralmente tem sabor mais saborosos que os cortes mais macios. Peça em geral usada em sopas, ensopados, ragus, acompanhar molhos. Carne muito saborosa mas dura.

Às vezes considerado de "segunda", às vezes de "terceira". Cortado com osso toma o nome de osso-buco, muito valorizado na cozinha, principalmente a italiana. Ideal para sopas, caldos e cozidos. Deve ficar no fogo até amaciar. Desfiado pode ser usado também em saladas frias. É de ótimo sabor.


Aba do filé – peça menos macia que o filé. Serve para moer e ensopar.

Maminha da alcatra – fica perto do fim da ponta de agulha, Tirada da peça inteira da alcatra . É muito macia, é muito macia e suculenta, de "primeira". Boa para assados, fazer bifes e churrascos em geral. Pesa, em média, 2 kg.


Peito e peito com osso - Dele é feito o pastrame, um temperado servido em fatias finíssimas, como o carpaccio. Entre outras receitas, dá origem ao "puchero", cozido tradicional na Argentina. Exige muito tempo de cozimento por causa da grande quantidade de músculos e fibras. É de "segunda".

Peixinho -  Também conhecida como coió e lagartinho-da-pá. O corte é macio e vai bem em cozidos e assados. Localizando no braço.

Ponta de agulha -  Considerada de "terceira", é constituída pelas últimas costelas do boi. Pode ser moída e, quando inteira ou em pedaços, também pede muito tempo de cozimento.

Rabo -  Compõe-se de diversos ossos recobertos com carne gordurosa e, como toda carne junto ao osso, bastante saboroso. É principal integrante do prato típico "Rabada".

Além destas partes, há os miúdos: a rabada, a língua e miolos, em geral são vendidos em peças.



Fonte: Livro 400g, Chef Profissional e site São Franscisco




 Receitinha com Filé mignon

File Mignon com funghy e gorgonzola
Ingredientes
500g filé migon cortado em tirinhas (mince)
4 colheres de sopa de Funghi secchi em pó
100g Manteiga
Quanto necessário de Sal, Pimenta do reino moida, Alecrim seco
3 dentes de Alho
100g alho poró laminado
100ml de azeite
1 colher de farinha de trigo
100ml de vinho branco
150ml de creme de leite fresco
1 copo de requeijão
100g queijo gorgonzola

Modo de Preparo:
1 - Passe o funghi e o alecrim num processador até virar um pó e reserve-o.
2- Tempere os filés com sal e pimenta.
3- Numa frigideira, derreta a manteiga e sele as tirinhas por todos os lados.
4- Na mesma frigideira, mas sem os filés, doure o alho poró e depois o alho, junte uma colher de farinha de trigo, deixe dourar por 1 minuto.
5- Junte o vinho branco, o creme de leite e o requeijão.
6-  Finalize o molho com o funghy batido com o alecrim e o gorgonzola.
7- Acrescente o filé ao molho.

Este molho pode ser acompanho de arroz, risoto, batatas ou pode ser molho para massas.
Esta receita pode ser feita com tirinhas, ou medalhões de filé mignon.



Fonte receita: Carol Coelho

sábado, outubro 29, 2011

Filme da semana : SEM RESERVAS


             Menos dramática e conservando basicamente a mesma trama de Simplesmente Martha, a nova versão do filme muda a nacionalidade do herói feito agora por Aaron Eckhart, que deixa de ser italiano mas ainda é apaixonado por comida italiana. A “Workaholic”chef de cozinha Kate, interpretada por Catherine Zeta-Jones agora é americana.
             O roteiro desta comédia romântica é fiel a quase todas as situações e até o roteiro musical utiliza o mesmo estilo de música de Simplesmente Martha. Logicamente, a culinária continua a ter ênfase principal no filme.
            O filme gira em torno de dois conflitos: a perda da única irmã de Kate, em um acidente de carro, deixando a sobrinha de 8 anos em seus cuidados, e a contratação de outro chef para ajuda-la no restaurante onde trabalha que acaba conquistando-a.
            No filme todos os conflitos são permeados de comida e envolvidos no cenário da cozinha do restaurante que localiza-se em Manrathan. Grande parte da delicadeza do filme é dada aos pratos incríveis que são apresentados de forma contemporânea da culinária italiana e francesa. Com equilíbrio de cores, formatos e alturas, codorna, trutas, lagostas, coelhos e sobremesas são mostrados de forma impecável.
            Responsável por cuidar de sua sobrinha, a rígida chef da espaço a seu impulsivo e barulhento  “sous chef “.

Mas a rivalidade e a briga por território perde força quando Kate tem problemas com  a resistência da sobrinha em aceitar seus pratos. Com isso Nick, que é avesso a regras, ganha espaço fazendo pratos da gastronomia italiana para a menina.
            A intenção do filme é colocar em evidencia duas visões gastronômicas ou dois estilos, de um lado chefs com ritmo frenético e estressado e do outro, chefs impulsivos e apaixonados.
            Um dos momentos mais gostosos do filme é quando Nick, prepara um jantar na casa de Kate a pedido da sobrinha. O prato principal é Pizza, servido no chão, sem talheres e pratos, regado de brincadeiras, em um aconchegante safari.
            Logicamente que no final o clima alegre e descontraído ganha a cena em um charmoso bistrô.
            Vale a pena ter a trilha sonora, que dita um ritmo alegre de jazz e ópera, é composta pelas músicas relacionadas a seguir: Truffles And Quail - Conrad Pope, Sway - Michael Buble, Celeste Aida - Luciano Pavarotti, O Mio Babbino Caro - Renata Tebaldi, Zoe & Kate Watch Video - Phillip Glass, Libiamo Libiamo - Joan Sutherland , Via Con Me - Paolo Conte, La Donna E ´Mobile - Joseph Calleja, Un Bel Di ´Vedremo - Renata Tebaldi, Zoe Goes To the Restaurant - Phillip Glass, Cielo E Mar - Luciano Pavarotti  , Mambo Gelato - Ray Gelato, Nessun Dorma - Luciano Pavarotti, Count On My Love - Liz Phair.
            Deixo algumas das receitas. Sirva-se a vontade!!


Receitinha:   Tiramisú
Ingredientes / Calda:
500ml. café solúvel instantâneo
50ml. licor de café ou licor de sua preferência
50g. açúcar

Dissolva o café na água e deixe esfriar. Junte o licor de café e reserve.

Creme:
125ml de creme de leite fresco
35g. de açúcar de confeiteiro
500g de mascarpone (ou em último caso - cream cheese com requeijão)
35ml. vinho do porto
5 unidades de gema
250g. biscoito champagne

Modo de preparo do creme:
Bata as gemas com o ½ do açúcar e o vinho do porto, banho-maria. Junte o marcarpone.
Bata o creme de leite com o ½ do açúcar até o ponto de chantilly. Junte o mascarpone e bata bem.
Misture os dois cremes.

Montagem:
Molhe os biscoitos na calda e forre o fundo do refratário. Despeje metade do creme sobre os biscoitos e nivele a superfície. Coloque mais uma camada de biscoitos embebidos e termine com o creme restante. Acerte bem a superfície com uma colher e polvilhe chocolate em pó.
Deixe na geladeira por algumas horas ou deixe de um dia para o outro para que os biscoitos fiquem bem molhados.

 Fonte imagem: google imagens

sexta-feira, outubro 28, 2011

Tartes de queijo e um beijo

Gosto de postar receitas minhas, ou que uso em aula, por que já são testadas. Mas  fiquei apaixonada por esta receita!  Além de linda, deve ficar deliciosa! 

Segue o endereço do blog de onde achei esta maravilha: http://www.flagrantedelicia.com

 Tartes de queijo e um beijo



O Beijo
Congresso de gaivotas neste céu
Como uma tampa azul cobrindo o Tejo.
Querela de aves, pios, escaracéu.
Ainda palpitante voa um beijo.
Donde teria vindo! (não é meu…)
De algum quarto perdido no desejo?
De algum jovem amor que recebeu
Mandado de captura ou de despejo?
É uma ave estranha: colorida,
Vai batendo como a própria vida,
Um coração vermelho pelo ar.
E é a força sem fim de duas bocas,
De duas bocas que se juntam, loucas!
De inveja as gaivotas a gritar…
Alexandre O’Neill









Mini-cheesecakes frios com morangos

Para 8 unidades:
Base
280 g de bolachas de aveia
120 g de açúcar mascavado claro
160 g de manteiga derretida
Mousse de queijo e laranja
130 g de queijo cremoso (tipo philadelphia)
60 g de açúcar
1 folha de gelatina
20 ml de sumo de laranja
Raspa de ½ laranja
100 ml de natas para bater
200 g de morangos (limpos, sem pé e cortados em quartos.)
25 g de açúcar fino
Base:
Untar com manteiga 6 formas individuais com 6.5 cm de diâmetro e 2.5 cm de altura e forrar com papel vegetal.
Triturar as bolachas com o açúcar, juntar a manteiga e misturar bem.
Dividir a mistura pelas formas e forrar os lados e a base, prensando com uma colher.
Refrigerar.
Creme de queijo e laranja:

Hidratar a gelatina em água fria e escorrer bem. Reservar.
Bater o queijo com o açúcar e a raspa de laranja até estar cremoso.
Aquecer o sumo de laranja e dissolver a gelatina.
Misturar a gelatina ao queijo e bater até homogeneizar.
Bater as natas até estarem firmes e incorporar com cuidado.
Encher as formas com o recheio e refrigerar 2 horas ou até estar firme.
Misturar os morangos com o açúcar e refrigerar.
Colocar os morangos sobre as tartes antes de servir.

quinta-feira, outubro 27, 2011

Le Creuset

Antique Rose

Se empolgue com a mais nova das cores Le Creuset.  É certamente irresistível!
Estou querendo uma!!!!

CLÁSSICO BOLO BRANCO DE CASAMENTO

Estamos com os bolos mais bonitos que escolhi com o tema "bolos brancos". Não são lindos?


1. Cake Inc. 2. Sweet Appetite 3 & 4. Lovin Sullivan 5. Wendy Kromer via Martha Stewart 6. Call Me Cupcake 7. Sylvia Weinstock.









fonte: Amy atlas events, Revista festa viva, Isabela Suplicy, Martha stweart, wedding guide, cake power