A fondue de queijo ( sim, ela é menina como a caipirinha).


É natural que um país que deve ao queijo o seu bem estar apresente uma enorme variedade de receitas com queijo. O mais conhecido é a fondue.

Ela nasceu na Suiça, no cantão de Neuchâtel, mas a receita pode variar de cantão para cantão.
A Suiça é um país multiétnico e multifacetado, com quatro linguas oficiais (francês, italiano, alemão e romanche)e um sistema de governo com cantões semiautônomos que formam uma confederação. Esse mosaico se reflete na culinária. O país produz 450 tipos de queijos, embora a maioria seja variação de dez tipos principais: appenzeller, emmenthal, gruyére, l´etivaz, sbrinz, schabzinger, tlsti, tête de moine e vacherin. Cada região tem sua prórpia forma de fazer queijo, e consequentemente, cada cidade produz fondue com queijo da sua região. As receitas distinguem-se em primeiro lugar pela escolha do queijo, sendo preferido geralmente o produto regional.
Segundo o chef francês Christophe Besse, as receitas podem até variar, mas a tradição é homogênea: a fondue se come com pão e apenas com pão.
O elemento principal na produção da fondue é chamado caquelon, um tacho com cabo, resistente ao fogo, especialmente concebido para a fondue.
De uma forma geral utilizam-se o Ementhal e o Gruyère - só o Ementhal seria demasiado suave, só o Gruyère seria áspero demais. É importante adicionar ao vinho branco um pouco de ácido, como suco de limão,  para ajudar o queijo a dissolver.
Segundo Pequeno Dicionário da Gastronomia, a fondue surgiu na Idade Média, em função da superprodução de queijos. Para evitar a perda, surgiu a idéia de derreter as sobras em um grande caldeirão, acrescentando-se álcool, de forma a conservar os queijos. Enquanto o preparavam iam provando com pão para ver o tempero adequado.
Esta operação coletiva da comunidade acabou perdendo carater de conservação e passou a ser uma celebração em conjunto.
Hoje existem vários tipos de fundue, de frutas com chocolate e de carne, que se chama, bourguignonne, que acompanha diversos molho, este é de origem francesa.


5 dicas para uma fondue IMPECÁVEL.

Use queijos suiços, por favor!!!!!
O gruyère é basico e está presente em quase todas as receitas. Basta combiná-lo a outra variedade e pronto. Todos tem massa que derrete bem.

Cozinhe em uma panela grossa, de barro ou porcelana. Se for usada fina, o queijo gruda nas paredes e queima.

Sabe aquela hora em que o queijo borbulha? Pode parecer apetitoso, mas é mau sinal. O fondue não deve ferver.

Mexa. Mexa muito. Mesmo em uma boa panela, mexer a fondue é essencial para que o resultado final tenha a cremosidade desejada.

Na hora de escolher o vinho, fuja do erro mais comum entre os brasileiros. Peça por um branco, seco e frutado. uma boa escolha é o Sauvignon Blanc.

Receita base para a fondue
1 dente de alho
400g queijo gruyére
200g queijo ementhal
300ml de vinho branco seco
1 colher de chá de suco de limão
2 colheres de chá de amido de milho
50ml kirsch (aguardente de cereja)
noz moscada ralada, pimenta do reino moida a gosto
1 pão italiano em cubos

Modo de Preparo:
Untar a panela com o dente de alho;
Colocar o vinho e aquecer até ferver;
Juntar o queijo e deixar derreter;
Dissolva o amido no kirsch. Junte a mistura e mantenha o fogo até dissolver;
Quando a fondue for servida, manter o fogo e não deixar ferver.

Fonte: revista gula, edição 223, livro culinária especialidades europeias.

Comentários

Postagens mais visitadas