Se você faz receitas do Quarta Feira, envie a foto da sua preparação na página do facebook:

quarta-feira, abril 24, 2013

Manchas de alimentos nas Roupas


Aguá quente x bicabornato
Produtos simples misturados à água quente conseguem resolver manchas mais complicadas.

- O bicarbonato de sódio em contato com as manchas, aquelas bolinhas que aparecem são, na verdade, gases que liberam a sujeira em uma reação química. O sódio é a base do sabão e de alguns outros produtos de limpeza.


Aprenda na tabela abaixo soluções caseiras e práticas para tirar até mesmo as sujeiras mais difíceis.

como tirar mancha











Manchas de Proteína:
entre elas temos a comida, o leite e latícinios em geral, ovo, gelatina, pudins, produtos corporais (suor, sanguem urina...), lama, cola branca e cola escolar.

Como remover:
Impreguine a mancha de água fria enquanto ela ainda estiver fresca.
Agitar o tecido na mão ou na máquina de lavar ajuda a mancha se soltar das fibras do tecido.
Em seguida, lave a peça em água morna - não em água quente.
Se a mancha persistir, impreguine novamente a mancha de água fria por no mínimo 30 minutos e depois lave a peça de novo.
Para remoção de manchas antigas ou secas, raspe o resíduo sólido, depois embeba a mancha em água fria com um sabão ou um produto próprio para tirar manchas de enzima antes de lavar a roupa. Você também pode tentar aplicar uma pasta de bicarbonato de sódio e água na mancha, deixando-a no tecido até a marca desaparecer. OU
Use Vinagre branco : Para remover manchas de suor e manchas causadas por xixi de animais de estimação, além de ajudar a combater os fortes odores. Para retirar as marcas de transpiração deixe a roupa de molho em água morna com vinagre branco.

Manchas de Tanino:
Entre elas temos as de café e chá, bebidas alcoólicas, refrigerantes, frutas e sucos, perfumes, tinta de caneta e verduras e legumes.

Como remover:
Enxague a mancha fresca com água fria ou se o tecido à água quente, derrame cuidadosamente água quente sobre a mancha a cerca de 60 cm dela. Depois, lave a peça com sabão, na temperatura mais elevada que as instruções contidas na etiqueta da roupa permitirem. Remover manchas mais antigas de tanino pode exigir o emprego de cloro líquido ou de alvejante para todo tipo de tecido, ou aplicação de uma pasta de bicarbonato de sódio, como é feito na remoção de manchas antigas de proteína.

Manchas à base de óleo:
Aqui há óleo de carro, graxa de porta de automóvel, óleo de cabelo, gorduras de cozinha (manteiga, óleo, maionese, azeite...).

Como remover:
Antes de lavar, remova a mancha com sabão líquido para limpeza pesada e um borrifador, ou sabão em pó, para molho misturado com bastante água, de modo a obter uma pasta que escorra. Aplique-a na peça e depois lave-a na temperatura mais elevada que as informações contidas na etiqueta da roupa permitirem.
Examine a peça antes de secá-la. ou

Para retirar manchas provocadas por gordura. Deixe o talco por 12 horas sobre a mancha e depois escove. Na maioria dos casos a mancha sai. Se isto não ocorrer, coloque mais talco, um mata-borrão e passe o ferro, bem em cima do mata-borrão. Se você não tiver talco, espalhe sal fino.


Manchas de corante e pigmento:
Como remover:
se o pigmento usado passou para o tecido durante a lavagem, lave novamente com um sabão para limpeza pesada em água morna ou quente. Para remover outras manchas de corante e pigmentos, trate-as antes de lavar com um sabão líquido para serviço pesado.
Enxague. Se a peça for branca ou de cor firme, impreguine a mancha com uma solução diluída de alvejante em pó para todo tipo de tecido, ou à base de cloro líquido, de acordo com as instruções da embalagem.

Para sua Roupa ficar mais branca:

Sol + sabão de coco: essa é a receita mais velha do mundo para branquear roupas. Onde há sol forte, deixe as peças de molho em água com um pedaço de sabão de coco. Se der para estendê-las sobre um gramado, melhor.
· O leite tira aquele amarelado da seda branca. Lave a peça. Deixe-a de molho por 30 minutos num balde com água e ½ litro de leite. Enxágue.
· Bicarbonato de sódio é melhor do que água sanitária para clarear tecidos delicados. Ponha na água do molho (à mão ou na máquina) 1 g de bicarbonato de sódio ou ½ copo de bórax (alvejante vendido em farmácias).
· Água e pedaços de limão ajudam a tirar o amarelo da roupa. Ferva a roupa nessa mistura.

Truques do tanque:

1. Para a peça de cor escura não desbotar
Na hora de lavar, acrescente um pouco de sal à água do molho. Outra dica é aproveitar a água em que você cozinhou espinafre. Mergulhe a roupa nessa água por dois minutos. Depois, lave normalmente.
2. Para as toalhas ficarem macias
Junte 2 colheres (chá) de bicarbonato ou ½ copo de vinagre na hora de enxaguar. E não se esqueça de colocar as toalhas m lugar bem arejado após o uso, isso evita a formação de fungos, aquelas manchas escuras que costumam aparecer nelas.
3. Para deixar panos de prato limpos
Coloque-os de molho por 30 minutos em 25 ml de alvejante sem cloro para cada 10 litros de água. Peças com barrados bordados, após o molho, devem ser enxaguadas com uma mistura de água e vinagre branco! Depois, lave normalmente.

Fonte: Livro, Casa Limpa e Arrumada, organize-se para cuidar da limpeza sem deixar de viver.
Site R7, mdemulher

segunda-feira, abril 22, 2013

Manjar Branco

Trata-se de uma das mais antigas sobremesas que se conhece.
Sua origem não é exatamente conhecida, mas há referencia a ele nos escritos de Apicius, numa receita chamada cibaria alba (comida branca). Entrou pelo mundo árabe com as invasões romanas e lá ganhou fama e preferência. Uma antiga receita persa, isfidhabâj, que também quer dizer comida branca, é a referência. Curiosamente, a calda inicial era feita com frango ou nacos de de cordeiro, a seguir aromatizados com amêndoas e açúcar - nos países árabes eram muito comuns pratos doces à base de frango.
A invasão moura foi novamente responsável pela inclusão de um prato no cardápio europeu.
Na Idade Média, receitas de manjar com caldo de frango são encontradas nos livros portugueses dos séculos 17 e 18 dos mestres Lucas Rigaud e Domingos Rodrigues. Com o tempo, foi-se o frango e ficaram as amêndoas, o leite e o açúcar. No Brasil, a receita ganhou o leite de coco e consagrou-se como preferência nacional.

O nome do Prato: Coxinha

Quarta feira é dia de cultura!
O nome do prato de hoje é: Coxinha!

Coxinha é a nossa comida nacional, legítimamente brasileira.

Ninguém sabe exatamente sua origem mas, como qualquer outra lenda viva, o quitute também é alvo de especulações. Uma delas, vinda dos ditos populares, atribui sua criação à cozinheira da Princesa isabel e do Conde D´Eu, no final do século 19, na fazenda Morro Azul, pouso da realeza portuguesa na cidade de Limeira, no interior de São Paulo.
De acordo com a história contada, um dos filhos do casal, privado do convívio social por causa de uma doença mental, só aceitava comer coxas de galinha. Nim dia, sem a quantidade suficiente do ingrediente, e diante do choro do menino, a cozinheira teria desfiado algumas sobras de frango, envolvido numa massa e moldado a dita cuja no formato de uma coxa para atender ao capricho da criança. A lenda não tem nenhuma comprovação histórica, ams faz parte da tradiçaõ oral de Limeira.
Outra versão é que o prato preferido dos Bragança era uma coxa de galinha frita em banha. Nesse sentido, não é nada dificil que essa receita tenha inspirado a coxa creme, versão do salgado em que a coxa de frango inteira é envolta na massa da fritura. Esta variante rústica, esta entre as receitas mais tradicionais do Rio de Janeiro, desde 1910, no cardápio da centenária Confeitaria Colombo.
Foto: Comer com os Olhos/Fotogastronomia)

Depois de pesquisar bastante aqui na “internê” achei aquela que parece ser a versão mais correta, ou pelo menos aceita, para tão divino salgado. Ela foi retirada do livro HISTÓRIAS E RECEITAS, de Nadir Cavazin.
Oficialmente a história da cidade de Limeira registra duas vindas do Imperador Dom Pedro II e da Imperatriz Tereza Cristina a Limeira. Essas visitas formais teriam ocorrido uma em agosto de 1876, e outra, a mais demorada, em outubro de 1886, quando, após participarem da Missa da Matriz e recepção domiciliar por parte de cidadãos ilustres, foram hóspedes na Fazenda Morro Azul. No entanto, contam os antigos que na informalidade era intenso o intercâmbio de habitantes desta região com a nobreza imperial. Existe, inclusive, um curioso relato, de difícil confirmação histórica, que na Fazenda Morro Azul vivia um menino, filho da Princesa Isabel e do Conde D’Eu, mantido longe da corte porque seria considerado deficiente mental. Essa criança exigia intensos cuidados na alimentação “Quando cismava em não comer” explicavam os antigos moradores “dava um trabalho danado! Por outro lado, se apreciava um alimento, não havia o que chegasse! Queria mais e mais! As coxas de galinha constituíam a sua predileção. O peito, as asas e os demais pedaços eram rejeitados e servidos as outras pessoas”. A cozinheira da fazenda, certa vez, não tendo o número suficiente de frangos “no ponto” e prevendo a gritaria do menino pela falta de sua apreciada comida, resolveu transformar uma galinha inteira em coxas. Preparou a seu modo a receita e o sucesso foi total. O filho da Princesa gostou tanto que as “coxinhas de galinha” passaram a fazer parte de suas refeições. A Imperatriz, quando veio a Limeira quis saber tudo sobre seu neto e ao observar com que prazer o pequenino saboreava a iguaria, não resistiu – provou, gostou e solicitou que o modo de preparo fosse fornecido ao Mestre da cozinha imperial. Assim, a humilde coxinha de galinha teve seu tempo de nobreza pelo acesso à Corte, e Altos Salões, graças a esta receita “provada e aprovada por especial indicação de Sua Majestade Imperial, a Imperatriz Tereza Cristina”.
E, já que o livro é Histórias e Receitas, porque não colocar aqui a receita que ela nos dá no livro:

HISTÓRIAS E RECEITAS de Nadir Cavazin, impresso em 2000, realizado pela Sociedade Pró Memória de Limeira, tem tiragem esgotada.


Assista ao vídeo de como preparar uma coxinha: 

http://mais.uol.com.br/view/e0qbgxid79uv/descubra-os-segredos-de-uma-das-melhores-coxinhas-de-sp-040298366ED09193E6?types=A


Segundo o blog Soy loco por ti, coxinha (http://soylocoporticoxinha.wordpress.com) elegeu onde comer as melhores coxinhas, veja o ranking:
1-Veloso (São Paulo, SP)
2- FrangÓ (São Paulo, SP)
3- Confeitaria Colombo (Rio de Janeiro, RJ)
4- Padaria Real (Sorocaba, SP)
5- Edelweiss (Curitiba, PR)
6- Coxinhas Douradas (Bueno Andrade, SP)
7- Boteco São Paulo (São Paulo, SP)
8- Ofner (São Paulo, SP)
9- Velho Rabo (São Paulo, SP)
10- BH Lanches (São Paulo, SP)

quarta-feira, abril 17, 2013

Pão de alho

Ingredientes

Rende: 15 pães

4 xícaras (chá) de farinha de trigo

1 tablete de Fermento biológico fresco

1 colher (sopa rasa) de banha animal

2 dentes de alho picado

1 colher (sopa) de sal

1 colher (café) de açúcar

1 ¼ xícaras (chá) de água

RECHEIO: bata todo recheio no liquidificador
200g de margarina ou Manteiga
80g de queijo tipo mussarela
1 colher (sobremesa) de Sal refinado
4 dentes de alho
½ maço de cheiro verde

Modo de preparo
Misture todos os ingredientes até obter uma massa homogênea. Sove e deixe dobrar de volume.
Boleie e deixe descansar por 30 minutos coberto com plástico pvc.
Modelar tipo mini baguete.
Leve ao forno e pré-asse com as seguintes temperaturas 160 a 170ºC, por um tempo de 12 minutos, sem vapor.
Deixe esfriar e faça cortes em sentido vertical sobre a superfície dos pães. A seguir, passe entre o corte e na cobertura o recheio batido na liquidificador.
Leve novamente ao forno e termine o cozimento deixando por mais 7 minutos com a mesma temperatura inicial.




Imagem: vilamulher

Suflê de Cenoura

 

 

Ingredientes

200g de cenoura cozida e espremida (purê)
4 ovos
200ml de requeijão
100ml  leite
Sal, pimenta e noz moscada a gosto
5 colheres (sopa) de queijo minas ralado
5 colheres (sopa) de queijo Parmesão, ralado
Para untar e enfarinhar:  1 colher (sopa) de manteiga sem sal e farinha de rosca

Modo de fazer

  1. Preaqueça o forno a 180°C.
  2. Com um garfo bata as gemas e misture com o requeijão com o leite morno, aos poucos, para que as gemas não cozinhem.
  3. Junte a cenoura (purê) e o queijo minas.
  4. Tempere com sal, pimenta e noz moscada.
  5. Unte as forminhas com manteiga e polvilhe com farinha de rosca.
  6. Bata as claras em neve e acrescente-as ao creme (frio), aos poucos, misturando com delicadeza (para não perder o ar das claras em neve).
  7. Encha 2/3 das forminhas, polvilhe com o queijo parmesão e asse por 15 minutos ou até que esteja firme e dourado.
Fonte/foto: dedo de moça

segunda-feira, abril 15, 2013

Pão de batata

 

 

Ingredientes

40 g de fermento fresco
1 colher (sopa) de açúcar
1 xícara (chá) de óleo
1 ½ xícara (chá) de leite
1 xícara (chá) de batata cozida e espremida
1 ovo
Sal a gosto
600 g de farinha de trigo aproximadamente

Recheio de calabresa com catupiri:
1 cebola ralada
2 colheres (sopa) de azeite
1 kg de linguiça calabresa defumada triturada
500 g de catupiri

Recheio de bacon com queijo:
500 g de bacon picado
4 tomates em rodelas
400 g de queijo prato
200 g de azeitonas picadas

Modo de preparo

Massa:
No liquidificador bata o fermento, o óleo, o leite, a batata, o ovo, o sal e o açúcar. Despeje numa tigela e misture a farinha de trigo até soltar bem das mãos. Deixe descansar por 30 minutos. Numa assadeira untada, coloque metade da massa, o recheio e a outra metade em cima. Pincele com gema e deixe descansar por mais 15 minutos. Leve para assar por aproximadamente 45 minutos no forno a 200 ºC.

Recheio de Calabresa com Catupiri:
Numa panela coloque o azeite e a cebola e deixe murchar. Em seguida coloque a calabresa e frite um pouco. Desligue o fogo e espere esfriar. Na montagem empregue o requeijão.

Recheio de Bacon com Queijo:
Numa panela frite o bacon até ficar bem dourado. Escorra o excesso de óleo. Na montagem empregue o tomate, o queijo prato e as azeitonas picadas.

Fonte: Pammela Mendes

sexta-feira, abril 12, 2013

Frango com estragão Mac e queijo





serve 4-6

Comece o cozimento para ficar al dente

2 1/2 xícaras de macarrão
2 colheres de sopa de mostarda Dijon
4 colheres de sopa de estragão fresco picado

Tempere com sal e pimenta e, em seguida, grelhar ou fritar em azeite:


4 de frango desossado e sem pele grande

Cozinhe o frango completamente e deixe descansar por alguns minutos antes de cortar os seios em fatias trimestre polegadas.

Para o molho:

No microondas, escalde

2 xícaras de leite integral
1 xícara de caldo de galinha

Em uma panela grande cozinhar juntos:

4 colheres de sopa de manteiga

3 colheres de sopa de farinha

1 colher de chá de pimenta preta

½ colher de chá de sal marinho

2 dentes de alho picados



Cozinhe em conjunto durante 1 a 2 minutos.

Mexendo sempre, despeje lentamente no leite escaldado e estoque. Continue a cozinhar por mais 2 minutos mexendo sempre. Mexer em




Rale e se misturam

6 oz mussarela

6 oz queijo suíço

½ xícara de parmesão ralado

Manteiga um 8-10 caçarola copo. Coloque 1/3 da massa na parte inferior do prato e cobrir com metade das fatias de frango. Despeje sobre a 1/3 do molho. Repita as camadas terminando com o queijo no topo.
cobertura

Um biscoito copo ou migalhas de pão (eu uso migalhas de biscoito Ritz)

2 colheres de sopa de manteiga derretida

Pitada de pimenta preta rachada.

Cubra caçarola e leve ao forno a 375 graus F por 30 minutos. Descobrir e cozinhe por 15 minutos a mais. Se você dobrar a receita, aumentar o tempo de cozimento adicional para maior caçarola.

terça-feira, abril 09, 2013

Cupcake Salgado de Queijo, Presunto e Abobrinha





Ingredientes

  • 1 e 1/2 xícara(s) de chá de farinha de trigo
  • 1 colher(es) de sopa de fermento em pó
  • 6 ovos
  • 1/2 xícara(s) de chá de manteiga derretida
  • Sal e pimenta-do-reino a gosto


  • 1 xícara(s) de chá de presunto picadinho
  • 1 xícara(s) de chá de parmesão ralado
  • 1 xícara(s) de chá de queijo mussarela ralado
  • 4 abobrinhas

Modo de preparo

Peneire a farinha de trigo junto com o fermento em pó; reserve. Misture os ovos com a manteiga em temperatura ambiente e tempere com sal e pimenta.

Junte tudo à mistura de farinha e fermento e mexa bem. Acrescente os queijos, o presunto e a abobrinha cortada em cubos. Reserve metade de uma abobrinha para decorar.

Coloque a massa em forminhas de cupcake, decore com rodelas de abobrinha bem finas e leve ao forno médio (a 160?C) por aproximadamente 30 minutos.

http://comidasebebidas.uol.com.br

domingo, abril 07, 2013

Pão de Queijo para quem não pode comer glúten!


Ingredientes:

4 xícaras de polvilho doce
1 xícara de polvilho azedo
3 xícaras de purê de mandioquinha* cozida e amassada (são cerca de 5 mandioquinhas médias)
1/2 xícara de purê de cenoura (também cozida e amassada )
2/3 de xícara de óleo
3/4 xícara de água
1 colher de sopa de sal

Modo de Preparo:

Misturar, em uma bacia grande, todos os ingredientes secos (polvilhos e sal). Acrescentar os purês e misturar (ainda não vai ficar homogêneo). Acrescente a água e o óleo, e misture tudo com a ajuda de uma colher até que possa usar as mãos. Vá misturando até obter uma massa lisa e homogênea. Molde bolinhas com as mãos e coloque em assadeira (não é necessário untar). Asse em forno baixo por cerca de 30 minutinhos mas isso depende de cada forno (ou até que tenham crescido e dourados)

* mandioquinha - também conhecida como batata baroa ou batata salsa.

quarta-feira, abril 03, 2013

A peso de ouro!

Na Europa, especialmente nas regiões de maior influência grega e romana, as especiarias eram utilizadas como drogas medicinais e, por isso, vendidas nas farmácias. Já mais tarde, a especiaria vai temperar comida, tal como acontecia com o açúcar.
O valor das especiarias, era tamanho que estas eram conservadas e herdadas, tal como ocorre com jóias e dinheiro.
Conta-se que a pimenta era vendida colocando-se seus grãos em um prato da balança e, no outro, moedas de ouro.
O dito popular, " a peso de ouro", vem desse valor de ouro das especiarias, principalmente das pimentas.
Contudo, muito antes de chegarem à India, os portugueses já utilizavam algumas pimentas provenientes do continente africano.
Chegando ao Oriente, o navegador português importou em quantidade a pimenta da india (Piper Nigrum L.), que foi a mais apreciada e comercializada. Essa é a nossa conhecida pimenta do reino, referente ao reino de Portugal, pois tudo que vinha do reino era assim chamado: farinha de trigo ou farinha do reino, queijo de cuia ou queijo do reino. Embora da Índia, a pimenta chama-se " do reino" por ter sido distribuída para o mundo a partir de Portugal.
Hoje, no Brasil, a pimenta do reino é uma importante atividade economica do Pará, sendo ese estado um dos maiores exportadores mundiais. Não apenas pimentas em tipo e variedade: também canela, cravo, gengibre, entre outras especiarias.
Fonte: Raul Lody autor do livro Brasil Bom de Boca, temas da antropologia da alimentação, editora senac. (pg36)

terça-feira, abril 02, 2013

Farofa de milho




300gr Farinha de milho em flocos
100gr Manteiga
1 unidade de Cebola pequena ralada
2 Ovos cozidos picados
100gr Bacon picadinho
100gr Azeitonas verdes sem caroço picadas
Sal a gosto
Salsinha picada

Modo de Preparo: Acrescente o ovo e a salsinha, acerte o sal e sirva.
Doure o bacon na própria gordura dele, junte a manteiga e a cebola, refogue, acrescente a farinha e as azeitonas, vá virando até dourar a farinha e deixá-la crocante.