Se você faz receitas do Quarta Feira, envie a foto da sua preparação na página do facebook:

quinta-feira, dezembro 08, 2016

Bolo de Fubá da Marize

ingredientes
1 xic de fuba ,
1 xic de farinha 
4 ovos 
1 xic e meia de açúcar
1 xic de leite fervendo
1 colher de sopa de po royal 
1 xic de óleo
erva doce a vontade

Modo de Preparo:

Coloque os ovos ,o açúcar ,o fuba, o óleo e o leite fervendo no liquidificador ,e a cada ingrediente que colocar, bata bastante
Depois que desligar, acrescente a farinha e o fermento e só misture. Adicione a erva doce.
Importante bater bem cada ingrediente e só acrescentar a farinha e o fermento por último e misturando com um batedor de arame ou espátula.

quarta-feira, novembro 30, 2016

Verdades e Lendas Natalinas

PAPAI NOEL: A lenda do velhinho alegre começou com uma pessoa de verdade: São Nicolau.
Ele viveu no século IV em Mira, região da Turquia.
Um dos santos mais populares do cristianismo, sua festa é comemorada no dia 6 de Dezembro. A ele são atribuídos vários milagres. Conta-se que doou uma grande fortuna a três jovens solteiras pobres que não tinham dote, deixando cair três sacos de ouro enquanto elas dormiam.
O bispo, homem de bom coração, costumava ajudar as pessoas pobres, deixando saquinhos com moedas próximas às chaminés das casas.
Foi transformado em santo (São Nicolau) após várias pessoas relatarem milagres atribuídos a ele.
A associação da imagem de São Nicolau ao Natal aconteceu na Alemanha e espalhou-se pelo mundo em pouco tempo. Lá ele era chamado de Christkindle (Jesus Menino), e ficou permanentemente associado à época se Natal. Depois a tradição espalhou-se para a França, onde foi chamado de Pere Noel. Na colônia holandesa de New Amsterdam, hoje Nova York,  ele era conhecido como Sinter Claus, que depois virou Santa Claus.
Até o final do século XIX, o Papai Noel era representado com uma roupa de inverno na cor marrom.
Porém, em 1881, uma campanha publicitaria da Coca-Cola mostrou o bom velhinho com uma roupa, também de inverno, nas cores vermelha e branca (as cores do refrigerante) e com um garro vermelho com pompom branco.
A campanha publicitaria fez um grande sucesso e a nova imagem do Papai Noel espalhou-se rapidamente pelo mundo.


Fonte: www.fsh.edu.br

terça-feira, novembro 29, 2016

"Estou preparando a minha árvore de Natal...



Quero que ela seja viva, mas não quero que seja exterior. Eu a quero dentro de mim. Tenho medo das exterioridades. Elas nos condenam. Ando pensando que o silêncio do interior é mais convincente que o argumento da palavra. Quero que minha árvore seja feita de silêncios. Silêncios que façam intuir felicidade, contentamento, sorrisos sinceros. Neste Natal não quero mandar cartões. Tenho medo de frases prontas. Elas representam obrigação sendo cumprida. Prefiro a gratuidade do gesto, o improviso do texto, o erro de grafia e o acerto do sentimento. A vida é mais bonita no improviso, no encontro inesperado, quando os olhares se cruzam e se encontram. Quero que minha árvore seja feita de realidades. Neste Natal quero descansar de meus inúmeros planos. Quero a simplicidade que me faça voltar às minhas origens. Não quero muitas luzes. Quero apenas o direito de encontrar o caminho do presépio para que eu não perca o menino Jesus de vista. Tenho medo de que as árvores muito iluminadas me façam esquecer o dono da festa. Não quero Papai Noel por perto. Aliás acho essa figura totalmente dispensável! Pode ficar no Pólo Norte desfrutando do seu inverno. Suas roupas vermelhas e suas barbas longas não combinam com o calor que enfrentamos nessa época do ano. Prefiro a presença dos pastores com seus presentes sinceros. Papai Noel faz muito barulho quando chega. Ele acorda o menino Jesus, o faz chorar assustado. Os pastores não. Eles chegam silenciosos. São discretos e não incomodam... Os presentes que trazem nos recordam a divindade do menino que nasceu. São presentes que nos reúnem em torno de uma felicidade única. O ouro que brilha, o incenso que perfuma o ambiente e a mirra com suas composições miraculosas. O papai Noel chega derrubando tudo. Suas renas indisciplinadas dispersam as crianças, reiram a paz dos adultos.

Os brinquedos tão espalhafatosos retiram a tranquilidade da noite que deveria ser silenciosa e feliz. O grande problema é que não sabemos que a felicidade mais fecunda é aquela que acontece no silêncio. É por isso que neste Natal eu não quero muita coisa. Quero apenas o direito de recolher o pequenino menino na manjedoura... Quero acolhê-lo nos braços, cantar-lhe canções de ninar, afagar-lhe os cabelos, apertar-lhe as bochechas, trocar-lhe as fraldas para que não tenha assaduras e dizer nos seus ouvidos que ele é a razão que me faz acreditar que a noite poderá ser verdadeiramente feliz. Neste Natal eu não quero muito. Quero apenas dividir com Maria os cuidados com o pequeno menino. Quero cuidar dele por ela. Enquanto eu cuido dele, ela pode descansar um pouquinho ao lado de José. Ando desfrutando nos últimos dias o desejo mais intenso de que a vida vença a morte.Talvez seja por isso que ando desejando uma árvore invisível. O único jeito que temos de vencer a morte é descobrindo a vida nos pequenos espaços. Assim vamos fazendo a substituição. Onde existe o desespero da morte eu coloco o sorriso da vida. Façam o mesmo! Descubram a beleza que as dispersões deste tempo insistem em esconder. Fechem as suas chaminés. Visita que verdadeiramente vale à pena chega é pela porta da frente. Na noite de Natal fujam dos tumultos e dos barulhos. Descubram a felicidade silenciosa. Ela é discreta, mas existe! Eu lhes garanto! Não tenham a ilusão de que seu Natal será triste porque será pobre. Há mais beleza na pobreza verdadeira e assumida que na riqueza disfarçada e incoerente.

O que alegra um coração humano é tão pouco que parece ser quase nada. Ousem dar o quase nada. Não dá trabalho, nem custa muito... E não se surpreendam, se com isso, a sua noite de Natal tornar-se inesquecível. "

Padre Fábio de Melo
 
 
 
 

segunda-feira, novembro 28, 2016

Bolo de brigadeiro para o Natal

SONY DSC
Ingredientes para a massa
  • 150 gramas de manteiga
  • 90 gramas farinha de trigo
  • 270 gramas farinha de trigo
  • 12 gramas bicarbonato de sódio
  • 6 gramas fermento em pó
  • 1 pitada de sal
  • 340 gramas de açúcar
  • 100 gramas cacau em pó
  • 450 ml leite integral
  • 5 ovos
  • 1 colher de sobremesa de essência de baunilha
  • Papel manteiga
Como fazer
Bater a manteiga com 90 gramas farinha de trigo, até ficar cremoso. Adicionar os ovos um a um e bater até incorporar. Intercalar todos os outros ingredientes secos peneirados e o leite- continuar batendo. Adicionar a baunilha. Bater bem. Despejar sobre assadeira forrada com papel manteiga – esta quantidade dá pra uma forma retangular de 40X60cm. Levar ao forno pré aquecido à 180 graus por aproximadamente 30 minutos.
Ingredientes para a calda
  • 200ml água
  • 200ml açúcar
  • 15ml licor de cacau
Como fazer
Ferva a água e o açúcar. Retire do fogo e acrescente o licor de cacau. Reserve para umedecer a massa.
Ingredientes do recheio de brigadeiro
  • 2 latas de leite condensado
  • 1 lata de creme de leite
  • 120 gramas cacau em pó
  • 40 gramas manteiga
Como fazer
Leve tudo ao fogo médio e mexa até atingir o ponto de brigadeiro.
Montagem
  • 250 gramas granulado de chocolate
  • 1 pincel
Divida a massa assada em 4 partes, umedeça com a calda com um pincel. Deixe reservado uma quantidade de recheio para finalizar o bolo. Monte o bolo alternando uma camada com massa e outra com recheio, finalizando com a massa por cima. Finalize com o recheio reservado, colocando-o sobre as laterais e por cima da massa, se sobrar faça bolinhas. Passe o granulado de chocolate em todo o bolo.